Hipótese 002

Especulações sobre a China.


A China, economicamente e tecnologicamente, vai sair muito mais forte depois dessa crise geral do capitalismo  que certamente ocorrerá no segundo semestre de 2020.


Ainda estou elaborando os primeiros esboços dessa hipótese.


Por quê?



Porque a China é governada por um Politburo altamente preparado. Sem essa frescura de democracia burguesa. E com COMANDO inteligente.


SEM essas medidas (que eu suponho absurdas) de Quarentena generalizada (exceto Wuhan, dentro de Hubei), com quase um esfacelamento da economia de quase todos os países, que vai ocasionar um recessão mundial, a China vai ANTECIPAR a fase em que ela será a maior potência econômica do mundo.


Eu vou começar a escrever aqui uma breve explicação dessa minha hipótese.


Todas as terras são estatais. Nenhum solo urbano é privado. Existe concessão,mas sempre revogável, se necessário.


Antes de se fazer um bairro, fazem-se as estações de metro no local. Os hospitais, etc.


Tudo é planejado.


E a China tem sobra de capital. Potencial de investimento quase ilimitado.

A maior produção da Apple é na China. Bill Gates está produzindo reatores nucleares na China. 

A China organizou um bloco de capitais e começou a adquirir ativos na Europa, nos USA, na América Latina, na Ásia toda, na África, na Austrália, etc.


É o maior parceiro comercial do Brasil.


É um país socialista. São 97 grandes empresas estatais que dominam quase tudo. O setor financeiro é completamente estatal. Se o capitalismo entrar em crise, a China estará fora (com a exceção das relações de troca com outros países).


Mesmo crescendo APENAS 6,5% ao ano (atualmente), continua gerando treze milhões de emprego por ano.



O 5G da Huawei está florescendo. Tanto, que cheguei a criar um projeto meu, no Brasil, que chamei de 5Genial.com 
 e que vai entrar em operação pública em 2021.


O 5G será o maior avanço tecnológico nos próximos dez anos.



O neoliberalismo jamais entrará na China. 



Um operário chinês é tão livre quanto um operário alemão ou francês. E muito mais livre do que um operário brasileiro.



A propósito, em 2020, a China está participando de 175 grandes e médias empresas na Alemanha.


Mas a China não é imperialista.



Continuo depois.


https://www.supercovid19.com.br/p/h002.html?m=1





A propósito, estudo mandarim desde 2018.


Pretendo viver uns três ou quatro meses na China ainda este ano.

Edson.

03.04.2020. 20h59.